terça-feira, 27 de Janeiro de 2009

O Uso de Cytotec em Cabo Verde



O Uso de cytotec tem aumentado, consideravelmente, na capital do país e as consequências são extremamente graves.
Em Cabo Verde muitas mulheres usam o cytotec para provocar o aborto. Mas segundo informações medicas o Cytotec é um medicamento do aparelho digestivo, que pode pôr em perigo a gravidez, por essa razão desaconselha-se a sua administração nas grávidas.
Segundo uma enfermeira do hospital que quis manter o anonimato, “ Diariamente, atende-se na maternidade muitas mulheres na maioria estudantes que recorrem a este medicamento para fazer abortos”.
O aborto pode ser feita até aos 12 semanas de gestação, mas a maioria das mulheres que provocam o aborto ultrapassam essas semanas. E com medo de aparecerem no hospital optam pelo aborto clandestino ou pelo uso do cytotec. Mas o que muitas mulheres não sabem é que o cytotec nem sempre anula um aborto e trás graves problemas a saúde.
Em caso que o medicamento não funciona e a gestão prossegue
“O remédio é sim, altamente, abortivo não é um remédio feito para provocar aborto, mas sim para aliviar dores de estômago. Por essa razão nem sempre conclui um aborto. A mulher pode usar o medicamento, porque dilata o útero, tem um derrame de sangue, mas, momentos depois, a mulher deve ser submetida a uma raspagem onde, somente, os médicos a possam fazer, não é colocar o remédio e está-se livre da gravidez”. Informações de uma ginecologista do centro de saúde de Fazenda que quis manter o anonimato.
Ela realça ainda que “ em caso que o medicamento não funcionar e a gestação prosegue, pode provocar complicações como má formação do feto, visto que o uso ocorre geralmente nos três primeiros meses, periodo em que o embrião está se formando”.
Venda Ilegal
A venda do cytotec é proibido mas, conforme pudemos verificar este medicamento é vendido no mercado do Sucupira pelos comerciantes que trazem-no de Brasil e Portugal. Cada unidade custa dois mil escudos.
Segundo uma fonte, o medicamento tem muita saída e a venda não é feita ás escondidas nas ruas de sucupira.
Uma comerciante explicou porquê que muitas jovens procuram o medicamento, “Facilitamos a vida de muitas mulheres que não querem ser vistas nos hospitais e nas clínicas e o cytotec é facil de usar é so meter na vagina, esperar pela acção e ningúem fica sabendo”.
Na opinião de uma cidadã Ana Chantre, que mostrou a sua preocupação relativamente à saúde das mulheres e apontou as falhas de fiscalização na venda ilegal dos medicamentos na cidade da Praia. “ se muitas pessoas tem recorrido a este medicamento para se livrar de uma gravidez indesejada é sinal que não há controle”.
Como podemos constatar o cytotec não é vendido nas farmácias. “ O cytotec é somente do uso hospitalar, pertencente ao grupo VI-1Antiácidos e não consta da lista nacional dos medicamentos”. Informações de Iolanda , Farmacêutica.
“O medicamento não é vendido nas farmácias e penso que se fosse vendido evitaria o comércio ilegal nos mercados e os utentes saírem mais informados, teriam a embalagem e seguiriam as informações o que não acontece quando a compra é feita nos mercados porque a venda é feita por unidade e as pessoas não têm acesso às embalagens”. Comenta

Consequências do uso : Pode Causar a Morte

Muitas mulheres procuram por este medicamento, sem nem mesmo se informar das graves consequências e do perigo que ela pode correr.
O cytotec pode causar desde uma diarréia até um sangramento que pode levar a morte.Além disso, infecção generalizada também é comum nos casos de usos do medicamento, uma vez que pode matar o feto e o mesmo ficar retido no ventre (aborto retido) se não tratado a tempo, levando a um estado sepisemia (infecção generalizada).
Outro problema que pode ser causado em cosequência do uso de abortivos é a perda do útero, “em alguns casos é necessário fazer a retirada do útero quando há um comprometimento grave do órgão”. Informações medicas.
O processo de abortamento é também extremamante doloroso, segundo depoimentos de mulheres que já passaram por um parto normal antes do aborto, “esse ultimo é mais doloroso”. Isso ocorre por que o processo de nascimento de um bebê é totlamente diferente de um processo de abortamaneto.
Na opinião de uma estudante Universitária, Carla Baessa “Nenhum remédio que provoca o aborto e confiável. Podem trazer muitos problemas, pode acontecer de não matar o feto, mas causar má formação. Sem contar que pode causar o aborto, mas ficar restos dentro da mulher e causar uma infecção séria podendo levar a perda do útero ou a morte”.
Prevenção é a medida mais correcta, aconselha a médica. “Eu sempre dou esse conselho, previna-se. Previnam-se da gravidez indesejada e das doenças sexualmente transmissíveis. Porquê tanto sofrimento, se o preservativo e os métodos anticoncepcionais são gratuitos”, questionou a médica, apontando ainda uma outra sugestão “caso queiram abortar façam-no antes dos três meses, num local apropriado e por pessoas apropriadas”.

1 comentário:

HV disse...

Muito interessante o seu artigo. É cada vez mais preocupante o uso clandestino deste medicamento para fins abortivos. Muitas mulheres na ânsia de resolverem o que consideram um problema (gravidez indesejada) arranjam mais problemas que poderão ser tanto a nível físico quanto psicológico.
Numa sociedade conservadora como a nossa, onde impera princípios e valores muito ligados à religião é quase inaceitável a prática do aborto, muito embora haja uma lei que prevê a descriminalização do aborto quando feito em determinadas circunstâncias.
Precisamos repensar e reflectir mais sobre essa questão, deixando de lado tabus e pré-julgamentos.
Alguém poderia fornecer-me o número da lei que trata sobre o aborto, por favor?